Convocação

Convocatoria

Segundo Congresso Ibero-americano de História Urbana

Cidade do México

Facultad de Arquitectura, Ciudad Universitaria, UNAM

 

25-29 de Novembro de 2019

Perante as variadas aceções com que é possível defini-la, a cidade insere-se na história como uma das maiores criações da civilização humana, pois na sua população, espaço e território confluem e fluem por seu turno os processos de mudança que a articulam como um artefacto material, social, económico, ambiental e cultural com diversas densidades históricas no mundo e no tempo.

No nosso século é um facto consumado que as grandes metrópoles da passada centúria transitaram para uma condição pós-industrial, reciclando velhas infraestruturas para alojar uma nova economia baseada nos serviços globais, ao mesmo tempo que as cadeias de produção centralizadas, outrora motor do desenvolvimento económico, se relocalizaram em regiões emergentes seguindo um esquema pós-fordista alimentado pela expansão dos meios de transporte e das telecomunicações, a massificação das tecnologias digitais e a liberalização dos mercados internacionais.

Esta grande transformação urbana planetária em curso mostrou já o reverso das suas implicações sociais, económicas, políticas, culturais e ambientais, visíveis na conflitualidade crescente que envolve a vida nas cidades e na adaptação institucional e resistências dos cidadãos às novas realidades. Uma leitura histórica destas transformações e dos seus processos é necessária e urgente.

Neste contexto deve pensar-se nas cidades ibero-americanas − possuidoras de uma clara, densa e complexa história e diversidade urbanística, socio-ambiental e cultural −, como uma espécie de laboratório e, pelo seu lado, destinatárias das mudanças do mundo contemporâneo. Daí que a perspectiva histórica seja uma ferramenta de análise, ao mesmo tempo que horizonte de explicação dessas ditas mudanças, nos quais se fundem os tempos passado, presente e futuro.

A compreensão e explicação destes complexos processos urbanos da Ibero-América podem situar-se em três grandes âmbitos de análise histórica diferenciada, mas que na nos factos são correlativos e dotaram as suas cidades de identidade: o social, o espacial e o cultural.

No primeiro âmbito encontram-se os indivíduos e os grupos − unidos por vínculos étnicos, de classe, de género, de atividade, etc. −, as instituições e as práticas que se definiram a partir das relações entre os habitantes − sejam residentes ou usuários − de um determinado espaço.

O segundo âmbito abarca os ambientes naturais e construídos por efeito dessa interação social, que por seu turno modelam as relações sociais; e no terceiro englobam-se as representações, imaginários, narrativas e práticas que medeiam também a interação dos habitantes e a transformação do espaço habitado em lugares e territórios culturalmente significativos.

Cada uma destas realidades foi alvo de atenção por parte de diversas disciplinas e ramos do conhecimento científico e das humanidades, mas o que importa destacar é o seu devir histórico.

Com base nas considerações anteriores, a Associação Ibero-americana de História Urbana através do Comissão Organizadora do Segundo Congresso Ibero-americano de História Urbana convoca os investigadores da cidade e do urbano a identificar temáticas consolidadas e emergentes − que hoje em dia são fundamentais para explicar as mudanças e o fenómeno urbano ibero-americano nas suas distintas dimensões e escalas histórico temporais −, e a apresentar propostas de mesas temáticas e de comunicações que contribuam para o debate teórico, metodológico e conceptual da história urbana, a partir de uma perspectiva multidisciplinar e multinacional, dentro dos seguintes grupos temáticos:

1. CIÊNCIA, TECNOLOGIA E CIDADE: Ideologias e práticas científicas. Patologias urbanas, discursos e representações médicas, doenças e desenvolvimentos urbano-institucionais. Instituições científicas e educativas e espaço urbano. Sociedades científicas e desenvolvimento urbano. Infraestruturas urbanas, transporte, mobilidade e processos sociais.

2. CIDADE E NATUREZA: Estruturas materiais e transformações meio-ambientais. Ambiente, desigualdade e ordem social nas cidades. Relatos e representações de deterioração ambiental. Problemáticas urbanas e organizações ambientalistas. Desastres urbano-ambientais, vulnerabilidade e riscos. Resiliência, meio-ambiente e lutas sociais.

3. ARQUITETURA, PLANEAMENTO URBANO E SOCIEDADE: As linguagens arquitetônico-urbanísticas das elites econômicas, políticas e acadêmicas. Intervenções urbanas e conflitos sociais. Urbanismo para os pobres e os pobres. Agentes e escalas. Processos de autogerenciamento Mutações sociais e novas morfologias urbanas. Segregação socioespacial, gentrificação, grupos étnicos e marginalização.

4. PODER, GOVERNO E CIDADANIA: Políticas urbanas. Governança e economias urbanas. Governos e cidadanias. Estados, governos locais e serviços urbanos. Participação cidadã, conflitos sociais, violência urbana e crime organizado. Movimentos sociais e cidade.

5. ESPACIOS Y CULTURAS URBANAS: Identidades, classe, género e espaço público. Sociabilidades e cultura urbana. Memória histórica e património urbano. Rituais cívicos e usos do espaço. Cidades, espaços, representações e práticas culturais, (literatura, cinema, imaginários, fotografia, música, artes).

6. HISTÓRIAS E RELATOS: Discursos e representações da cidade nas ciências sociais. A cidade e as suas historiografias. Teorias das narrativas e representações da cidade. Cidade e crónicas urbanas. A nova história urbana global.

7. EVOLUÇÃO DAS CIDADES E SOCIEDADE GLOBAL: Migrações e sociedade urbana. Ciclos económicos urbanos. Gentrificação e cidades sustentáveis. Crises da civilização urbana, sociedades de consumo e urbanismo global. Guerras e urbanização. Insegurança neoliberal e violências urbanas globais. Financiamento global, urbanização e negócios imobiliários.

Esta chamada é aberta tanto a membros da associação como a pessoas que não pertençam a ela. Todas as propostas de mesas e de comunicações devem ser apresentadas em espanhol ou português, idiomas oficiais da Associação Ibero-americana de História Urbana.

 

A proposta de mesas e comunicações realizar-se-á em duas etapas.

Etapa 1

As mesas deverão ser propostas por dois coordenadores que devem ser investigadores doutorados, idealmente de instituições e países diferentes. Os Coordenadores da Mesa apresentarão um breve currículo de cada um – de não mais do que 300 palavras -,  um título, um resumo de não mais de 500 palavras e cinco palavras-chave que definem o conteúdo temático da Mesa. Além disso, deve ser indicado em qual dos sete eixos temáticos em que se inscreve a mesa.

As propostas de mesa, como as apresentações, podem ser apresentadas em espanhol ou português, línguas oficiais do Congresso e da Associação Ibero-Americana de História Urbana.

Adicionalmente os coordenadores deverão incluir entre 3 e 5 propostas de comunicações pré-aceitos per eles, incluindo o nome do seu autor a sua filiação institucional, um título e um resumo de não mais do que 300 palavras para cada comunicação.

Toda esta informação deverá ser apresentada aos organizadores do Segundo Congreso Iberoamericano de Historia Urbana (2o CIHU) através do Formulário de Proposta de Mesas disponível na página web do congresso. A data limite para a apresentação de propostas de mesa com seus respectivos comunicações é o dia 28 de novembro de 2018. 20:00 horas PM Zona Horaria UTC6

A comissão científica do 2o CIHU avaliará a qualidade das propostas e decidirá a sua aceitação ou recusa. Privilegia-se o cumprimento dos termos da convocatória Um indivíduo poderá participar no máximo em duas atividades em todo o congresso, seja como coordenador ou como conferencista, ou como conferencista em uma ou duas mesas.

Etapa 2

A partir de 20 de janeiro de 2018 serão divulgadas as mesas aceites através da página web do congresso e será aberta uma segunda etapa de convocatória de comunicações.

Mesa Coordenadores terão até ao dia 20 de abril de 2019 para avaliar e gravar mais propostas de comunicações para completar um minimo de 5 y máximo de 8 conferencistas em cada mesa.

É responsabilidade dos coordenadores garantir a coerência temática da mesa, bem como a qualidade dos trabalhos aceitos.

O prazo para informar os organizadores do 2o CIHU na lista final de participantes em cada mesa é aceito em 30 de abril de 2019.

Esta informação deverá ser completada utilizando o formulário disponível na página web do congresso.

Entrega de comunicações completas 

Os pesquisadores aceitos para participar de cada mesa devem entregar seu trabalho completo aos coordenadores na data em que se estabelecem.

Por sua vez, os coordenadores da mesa terão até o dia 30 de agosto de 2019 para enviar para a coordenação geral do congresso os textos publicáveis das apresentações de sua mesa.

A entrega fora do prazo das comunicações não permite garantir a sua inclusão nas atas digitais do congresso, embora possam no entanto participar no congresso.

Cada comunicação deve ter a identificação do autor, a sua afiliação institucional, um título, resumo, cinco palavras-chave e uma extensão máxima de 4.000 palavras no formato Arial de 12 pontos.

 

Pagamento de registro

O serviço de pagamento on-line para taxas de inscrição estará disponível a partir de 25 de maio de 2019.

Os participantes aceitos e o público presente no congresso deverão efetuar o registro de acordo com as seguintes indicações:

  • As quotas são estabelecidas em dólares americanos e serão cobradas em sua equivalência com o peso mexicano.
  • Os Coordenadores do Mesa estão isentos do pagamento de quotas.
  • A participação na Conferência Magistral Inaugural e na Conferência do Clausura é reservada para o pagamento de quotas.
  • As sessões das mesas temáticas são abertas ao público interessado sem custo.
  • Estudantes que comparecerem e exigirem comprovação pagarão USD 10, no período de 25 de maio a 31 de agosto de 2019. Após essa data, pagarão USD 20.
  • Público geral que requer registro de comparecimento pagará 30 USD, no período de 25 de maio a 31 de agosto de 2019. Após essa data, pagará 40 USD.
  • Participantes das Mesas aceitas e cadastradas pagarão 60 USD, no período de 25 de maio a 31 de agosto de 2019. Após esta data, pagarão 100 USD

 

PRINCIPAIS DATAS

2018:

11 de junho Anúncio de chamada

28 de setembro Prazo para recebimento de propostas de Mesa. Requisitos: dois Coordenadores das Mesas de dois países e 3 resumos de participantes de três países (mínimo).

20 de outubro Publicação de Mesas aceitas. Os Coordenadores das Mesas aceitos poderão cadastrar até 5 participantes mínimo e 8 máximos.

 

2019:

25 de janeiro Publicação do Programa de Mesas e Comunicações aceito.

20 de abril
Prazo final para recebimento de resumos de trabalhos adicionais por coordenadores.

30 de abril
Publicação do Programa Definitivo de Tabelas e Comunicações aceito.

25 de maio a 31 de agosto. Pagamento de registro com desconto.

21 de junho. Prazo final para recebimento de comunicações completas pelos coordenadores das mesas.

30 de agosto. Prazo final para envio ao Comitê Organizador de trabalhos completos publicáveis.

1 de setembro a 29 de novembro. Pagamento de inscrições com quota completa.

25 a 29 de novembro. Realização do Congresso.

 

As consultas sobre o conteúdo desta chamada devem ser encaminhadas para:

Coordenação 2o CIHU

2ndcongresoaihu@gmail.com